Descentralização: o poder emana do povo.

Texto padrão

O poder emana do povo mas ainda falta a proliferação dessa consciência na sociedade.

Vivemos em uma sociedade construída intencionalmente para estarmos suscetíveis ao domínio de oligarquias ligadas ao capital estrangeiro. Esse domínio se manifesta através da economia, que dita as regras da política, uma relação promíscua que deixa a população refém de patrimonialistas, os quais representam interesses de seus investidores: o capital estrangeiro.

Os representantes da democracia no poder manobram como bem entendem e não têm a menor preocupação com o que deveria nortear suas ações: o povo. O que vem acontecendo no cenário político brasileiro é inadmissível para qualquer nação que se considere democrática. A verdade é que a democracia no Brasil é uma farsa que fazem-nos engolir. Aí entra outro fator importante desse processo: a mídia de massas. Ela é quem constrói a narrativa que interessa a ela e seus parceiros. Por isso consideramos a descentralização da comunicação e da política como alternativa para resistirmos aos retrocessos em andamento. E isso depende muito da emancipação de cada cidadão das antigas relações de trabalho, de uma tomada de consciência de que o poder é nosso, devemos nos apropriar dele, ocupar, não abrir mão.

Plataformas de coworking são ferramentas que possibilitam uma unificação de forças de trabalho, convergindo corpos e mentes para cocriarem soluções, somando esforços e concebendo um único corpo em luta, com mais força. Dessa maneira construímos nossa mídia e somamos na guerra da informação, que permeia com intensidade o momento que vivemos. Sem nós, povo, sociedade civil, não existe governo. É necessário que isso ecoe aos quatro cantos.

A seguir, confira a entrevista com o professor Flávio Aguiar, correspondente Internacional da Rede Brasil Atual, sobre a atual situação política brasileira, dentre outros asuntos:

Entrevista com professor Flávio Aguiar


Cilque abaixo, fale conosco!

imagem